As instalações prediais de esgoto sanitário são destinadas a coletar, conduzir e afastar da edificação os despejos provenientes do uso de equipamentos sanitários, dando a eles correta destinação. A destinação final do esgoto sanitário será a rede pública de coleta, quando disponível, ou o sistema particular de recebimento e pré-tratamento de efluentes, em regiões sem coleta e tratamento da rede pública.

O sistema predial de esgoto sanitário deverá seguir algumas recomendações, conforme a NBR 8160/99 – Instalações Prediais de Esgoto Sanitário –, tais como:

  • Evitar a contaminação da água.
  • Permitir rápido escoamento dos despejos coletados.
  • Impedir o retorno de gases provenientes das instalações de esgoto sanitário.
  • Permitir a inspeção da instalação e de seus elementos de forma rápida e fácil.
  • Permitir a fixação de aparelhos sanitários somente por meio de dispositivos que facilitem sua remoção no caso da necessidade de reparos e manutenção.
  • Impedir o acesso do esgoto ao sistema de ventilação predial.
  • Impedir o acesso de corpos ou objetos estranhos ao sistema.

Materiais Utilizados

Materiais que não são padronizados pela norma brasileira não poderão ser utilizados nessas instalações. O PVC é o mais utilizado atualmente por suas inúmeras vantagens. No caso de tubulações aparentes, instaladas na horizontal e/ou suspensas em lajes, o recomendável é a utilização de tubulações mais resistentes, com um reforço extra em sua espessura.

Outro material que pode ser utilizado é o ferro fundido. Ele tem como vantagens sua característica incombustível e sua alta resistência a choques e impactos. Este material é mais comumente utilizado no caso de tubulações aparentes, como em garagens e subsolos, por exemplo, ou em locais onde há risco de acidentes. Possui também alta resistência a substâncias químicas e altas temperaturas e tem boa durabilidade.

Partes de instalação

O ramal de descarga é a parte da instalação que recebe diretamente os efluentes dos aparelhos sanitários instalados, tais como o vaso sanitário, o bidê e o lavatório.

O vaso sanitário deverá, obrigatoriamente, estar ligado de forma direta à caixa de inspeção, no caso de edificações térreas, ou ao tubo de queda do esgoto, no caso de instalações em pavimentos superiores.

Os ramais do lavatório, do bidê, do lavatório, da banheira, do ralo e do tanque deverão ser conectados à caixa sifonada. Os ramais que possuem efluentes de gordura, como da pia de cozinha, deverão ser conectados à caixa de gordura, no caso de edificação térrea, ou em tubo de queda específico, para as instalações em pavimento superior.

Desconectores

Os desconectores possuem um fecho hídrico, com a finalidade de impedir a passagem de gases no sentido oposto ao deslocamento do esgoto. Nas instalações prediais de esgoto sanitário, são utilizados dois tipos de desconectores: a caixa sifonada e o sifão. Cada desconector pode atender apenas um aparelho sanitário ou todos os aparelhos sanitários instalados na unidade, a exemplo da caixa sifonada.

A NBR 8160/99 determina a obrigatoriedade do uso de desconector em todos os aparelhos sanitários; além disso, sua instalação deve permitir manutenção.

O sifão possui uma camada líquida, denominada fecho hídrico, com a finalidade de servir como vedação impedindo o retorno de gases provenientes da instalação. A altura mínima dessa camada de água (fecho hídrico) é de 50 mm ou 5 cm.

A caixa sifonada é uma caixa de formato cilíndrico, provida de desconector, fabricado em PVC e ferro fundido, com diâmetros de 100 mm, 125 mm e 150 mm. Pode ter de uma a sete entradas de esgoto, para tubulações de 40 mm, e tem apenas uma opção de saída, que pode ter diâmetro de 50 ou 75 mm.

Ralos

Existem 2 tipos de ralos: seco (sem proteção hídrica) e sifonado (com proteção). Em geral, o ralo seco tem como finalidade recolher água proveniente de chuveiro (boxe), pisos laváveis, áreas externas, terraços, varandas etc. Por esse motivo, não podem receber efluentes de ramais de descarga.

Podem ser fabricados em ferro fundido ou PVC e são diversos os modelos da peça. Os ralos secos deverão ser conectados à caixa sifonada.

Ramal de Esgoto

O ramal de esgoto tem por finalidade receber os efluentes provenientes dos ramais de descarga da edificação.

Tubo de queda

Esse elemento é a tubulação vertical existente nas edificações com dois ou mais pavimentos e recebe os efluentes oriundos dos ramais de esgoto e dos ramais de descarga.

Caixas de inspeção e caixa de gordura

A caixa de inspeção tem a finalidade de permitir a limpeza, a inspeção e a manutenção da rede de esgoto.

Autor

Deixe um Comentário

Ganhe até 66% ao mês investindo em BitCoin, quer saber como ?
Oportunidade Única
Se inscrever agora!
Ganhe até 66% ao mês investindo em BitCoin, quer saber como ?
Oportunidade Única!
Se inscrever agora!